• es
  • pt-br
  • pt-pt
(+34) 902 207 782

Blog sobre Retenção e Desenvolvimento do Capital Humano

Descubra os grandes benefícios da assessoria entre colegas

Quanto talento seu e capacidade crê que usa a sua atual organização? Durante os últimos 50 anos formulei esta pergunta a grupos de executivos e dirigentes, e a resposta média em todo este tempo foi assombrosamente consistente. Se a maioria dos executivos, dirigentes e chefias coincidiram em que a sua companhia estava utilizando uma alta percentagem das suas competências e capacidades, então obviamente se encontrariam benefícios significativos tanto para os indivíduos como para as suas empresas. Os empregados estariam com mais energia e a empresa receberia um maior valor do seu trabalho. Há muitos elementos que influem no grau em que se utilizam as competências e talentos de uma pessoa, como o desenho do trabalho, o comportamento dos anteriores titulares do posto, ou a energia do indivíduo quando faz o seu máximo esforço. Ainda que não há uma única “bala de prata” que proporcione uma solução universal, há uma prática que se aproxima.

O mais próximo da melhor solução

A prática que marcaria uma grande diferença é que entre colegas se procurasse e partilhasse com mais frequência ideias e assessoria. Esta solução tem muitas vantagens.

  • É simples
  • Económica
  • Completamente debaixo de controlo próprio
  • Uma solução na qual todos ganham.

Quais são as recompensas?

A prática de procurar assessoria interna beneficia todos os envolvidos.

1. Benefícios para quem pede opinião aos outros:

  •  Novas ideias a partir de perspetivas que antes não se haviam explorado.
  • Exibir uma variedade de comportamentos de liderança altamente valorizados, como a humildade e a abertura às ideias dos outros.
  • Transmitir respeito pelos outros, o que une o conjunto da organização.
  • Elevar o nível de implantação da solução final. A pessoa que pergunta aos demais pelas suas ideias é mais provável que receba também ajuda quando chegue o momento de a pôr em prática.
  • Crescimento pessoal de quem solicita receber feedback dos outros. O nosso comportamento muda-nos. Tenhamos em conta que quando uma pessoa assume a “pose de heróis” com os pés separados, o queixo para cima e as mãos nas ancas, o nível de ocitocina no sangue aumenta. Isto por sua vez muda os seus pensamentos e emoções. Pedir ideias ou comentários dos demais aumenta inevitavelmente a confiança em si próprio e a segurança da pessoa que o pede. Porquê? Mostra força e ​​confiança, não debilidade. Para além disso, quanto mais se pratica, mais fácil se torna.
  • Depois de consultar os seus colegas, um líder geralmente sente-se mais seguro para tomar uma decisão difícil. A soma de ter critérios de outras pessoas, mais a tranquilidade que provém de saber que considerou as várias alternativas, proporciona o impulso necessário para avançar com audácia.

2. Benefícios para a pessoa consultada:

  • Superar o isolamento que frequentemente sentem as pessoas, libertando-as da barreira que com frequência se constrói em volta de cada área funcional.
  • Ampliar a sua esfera de influência, convertendo-a numa parte mais importante da organização.
  • Aumento dos sentimentos de respeito e apreço pelas suas ideias e opiniões. De facto, as suas capacidades estão-se utilizando muito mais como resultado de serem questionados.
  • Ampliar a sua compreensão da organização e os problemas que esta enfrenta.
  • Torna-se mais fácil para a pessoa a que pediram observações e ideias mudar de papel e fazer que a conversa gire logo até o outro lado. Como consequência, cria-se uma relação interpessoal mais forte.

Descarrega o eBook da medição científica da Formação e Desenvolvimento

3. Benefícios organizacionais:

  • A assessoria cruzada cria uma equipa de liderança mais forte ao utilizar plenamente todos.
  • O intercâmbio fluido de ideias ajuda a dar forma a uma cultura de colaboração que substitui a de concorrência. O intercâmbio gratuito de comentários converte-se numa forma normal de funcionar.
  • Inculcar uma ética de trabalho em equipa e colaboração.
  • Maior retenção. O nível de participação está altamente correlacionado com a rotação em todos os níveis.
  • Evita que as carreiras sejam torpedeadas. Ao analisar uma série de executivos que foram despedidos por una grande empresa de alimentos empacotados, a única competência que predisse quem fracassaria foi a falta ou baixo nível de “auto-desenvolvimento prático”. A assessoria entre pares é uma ferramenta prática para o auto-desenvolvimento.

Que a assessoria entre pares tenha lugar

Constantemente, durante as últimas cinco décadas, os executivos expressaram que pensavam que a sua organização usava só 40% dos seus talentos e competências. Nenhuma organização deve esperar que este número seja de 90% ou de 100%, o que suporia um ajuste perfeito do individuo a uma posição que utilizara completamente uma ampla variedade das suas competências e conhecimentos. Mas não deveríamos contentar-nos com os 40%. Todos deveríamos aspirar a que os líderes da nossa organização sintam que mais de metade das suas competências e conhecimentos estão sendo aproveitados. O que é que poderia promover mais treino e assessoria entre colegas? Há uma resposta que é enganosamente simples: estimular todos a que o solicitem. Numa idade jovem aprendemos a não dar conselhos que tenham sido solicitados, nem a assinalar gratuitamente um comportamento que cremos que poderia ser melhorado. A maioria das pessoas são reativas a dar a sua opinião voluntariamente, temendo que possa ser percebida como crítica ou de intromissão nos assuntos de outra pessoa. Sem embargo, tudo isso muda quando alguém pergunta de maneira sincera. A quantidade e o grau de honestidade das observações geralmente aumenta quando alguém solicitou comentários. Isto é especialmente certo quando se trata de comunicação vertical na organização, mais que quando é completamente horizontal. Realizar observações não solicitadas a uma pessoa de alta posição na organização é extremamente difícil e com frequência se percebe como é perigoso para a própria carreira. Sem embargo, quando a pessoa de mais nível pergunta aos seus colegas a sua opinião, ainda que possa continuar a ser um pouco incómodo, o nível de inquietação é só uma fração do que seria se a pessoa de mais nível não tivesse perguntado antes.

Conclusão

A investigação demonstra que a assessoria entre colegas é valioso para ambas as partes. A consulta entre pares pode ser ativada por pessoas de maior nível, solicitando opiniões e ideias dos demais. Outros líderes da organização normalmente seguirão o seu exemplo. A cultura é criada pelo comportamento diário dos líderes da empresa. Não levará muito tempo que o comportamento dos que estão em cima se replique em todos os níveis da organização.

Nuevo llamado a la acción

 

António

No hay comentarios

No hay comentarios todavía.

Dejar un comentario