• es
  • pt-br
  • pt-pt
(+34) 902 207 782

Blog sobre Retenção e Desenvolvimento do Capital Humano

Como aumentar a satisfação com a remuneração (sem aumentar o salário)

insatisfação com o salário é uma preocupação importante na maioria das organizações. Frequentemente falo para grandes audiências e pergunto, “A quem se paga demasiado?” Geralmente, uma ou duas pessoas levantam a mão só para chamar a atenção. Mas a maioria de nós, independentemente do nosso salário, lutamos para chegar ao fim do mês e termos o suficiente para tirar umas férias.

Os dados sugerem claramente que, para a maioria das pessoas, nunca estivemos melhor. Brian Caplan, economista da George Mason University, comentou recentemente na Freakonomics Radio:

“Os países que produzem muitas coisas não são precisamente bons lugares para ser rico ou de classe média; são bons lugares para ser pobre. Assim que quando as pessoas se queixam dos que ficaram para trás… China tem 1.300 milhões de pessoas. Claro, alguém vai ficar para trás. Mas é melhor ser pobre agora na China ou à cerca de 20 ou 30 ou 50 anos atrás, quando se morria de fome? “

Porém, embora muita gente tenha hoje melhor nível de vida do que tinha à 20 ou 50 anos, a maioria não está completamente satisfeita com o seu salário.

Os sentimentos de um empregado acerca do seu salário e benefícios extra-salariais estão influenciados por uma variedade de factores que vão mais além da quantidade recebida e da qualidade dos benefícios. As comparações com os outros, as expectativas, a própria dívida, as expectativas dos conjugues, os filhos e os companheiros, tudo impacta no que sentimos acerca de quanto nos pagam.

Para ter uma perspectiva mais profunda, fui ver a satisfação com o salário e os benefícios na base de dados de liderança de Zenger Folkman, de mais de 60.000 empregados. O que me interessou foram os factores que ajudam as pessoas a sentirem se mais satisfeitas com a sua remuneração. Verifiquei que há sete factores que têm uma influência positiva muito significativa. Para ser claro, não creio que você possa ir ver os seus empregados e negociar com eles um melhor pagamento ou maiores benefícios em função da presença destes fatores. Porém, creio que, se você pode elevar a lista em alguns dos fatores, escutará menos queixas sobre o salário. Na minha opinião, não é um mau acordo.

Guia: Como ser um bom líder de equipa?

  1. Reconhecimento e recompensas. Se alguma vez esteve diante de uma caixa registadora a pagar por um artigo e lhe faltava cinco cêntimos, esses cêntimos começaram a parecer bastante importantes. Se um estranho de pé junto a você lhe dá uma moeda do seu bolso, pode lhe ter parecido uma oferta generosa, apesar de que o seu verdadeiro valor seja pequeno. Os empregados tendem a sentir se mais satisfeitos com o seu salário e benefícios quando também sentem que são reconhecidos e recompensados com frequência. Quando a compensação económica vem com reconhecimento, os empregados sentem que o salário tem mais valor. Um dos grandes valores do reconhecimento é que não custa nada, que não é difícil de dar (para a maioria das pessoas) e que a maioria dos líderes poderia fazê-lo com mais frequência.
  2. Motivar e inspirar os outros. Se alguma vez recebeu uma retribuição por algo que não ganhou ou não foi merecido, pode ser que se tenha sentido feliz por esse dinheiro. Mas, por outro lado, se trabalhou duro e com dedicação para atingir um objetivo e por ele tenha recebido uma compensação económica, isto tende a recompensar o seu esforço. O ponto aqui é que, se deseja que os empregados apreciem o seu salário, inspire-os a fazerem melhor o seu trabalho todos os dias. Ao animar o pessoal a trabalhar duro para alcançar as metas e objetivos específicos, vai fazer com que se sintam orgulhosos dos seus feitos, o que também faz com que apreciem mais o seu salário e os restantes benefícios. A sabedoria convencional sugere que as pessoas estão mais satisfeita com o seu salário quando trabalham menos, mas os dados indicam que quando as pessoas fazem mais, apreciam o seu salário ainda mais.
  3. Crescimento e desenvolvimento individual. Os dados mostram claramente que os empregados que estão satisfeitos com as suas oportunidades de carreira e desenvolvimento estão também mais satisfeitos com os seus salários. Os empregados querem do seu trabalho algo mais do que o pagamento que recebem. Em troca do seu árduo trabalho, os empregados querem desenvolver novas habilidades e ter oportunidades de carreira satisfatórias. Ao compreender as aspirações profissionais de cada empregado e proporcionar lhes oportunidades de desenvolvimento, estamos a ajudar todos a sentirem se melhor com o seu salário.
  4. Segurança no emprego. Se as pessoas têm medo de perder o seu emprego, nenhum nível de compensação salarial será adequada. A maioria das pessoas têm necessidade de se sentirem seguras no seu trabalho e ser capaz de providenciar para si e para a sua família essa mesma segurança.
  5. Ambiente de trabalho positivo. Se as pessoas trabalham num ambiente positivo onde o compromisso é alto, se sentirão muito melhor com o salário. Se trabalham num ambiente negativo, onde os membros da equipa estão desvinculados, nenhum valor salarial ou outros benefícios será suficiente. A criação de um ambiente de equipa positivo e comprometido terá um impacto significativo na satisfação com a remuneração.
  6. Satisfação com a organização. Quando os soldados vão à guerra recebem um pagamento de batalha. Quando os empregados trabalham numa organização com má reputação esperam também receber um “pagamento de batalha”. Qualquer coisa que se possa fazer para ressaltar e melhorar o valor e a reputação da empresa ajudará as pessoas a sentirem se melhor com e seu nível de remuneração.
  7. Comunicação efectiva. Quando os empregados estão às escuras ou confundidos acerca da sua remuneração, a sua satisfação geral diminui. Melhorar o fluxo e regularidade da comunicação pode ter um profundo impacto em cada equipa. O mais negativo de todos os aspectos tratados na maioria das pesquisas sobre os empregados é a má comunicação. Assegure-se de que cada membro da equipa entende o porquê da sua remuneração. Há vários anos, por exemplo, uma empresa cliente melhorou a satisfação dos empregados com  benefícios não salariais ao reduzir o custo do pacote de benefícios e utilizar o dinheiro poupado para investir numa chamada de apoio que ajudou as pessoas a estarem melhor informadas sobre esses benefícios. Apesar da qualidade do pacote de benefícios foi menor, a satisfação aumentou substancialmente.

Poucas pessoas são pagas em demasiado, mas todos se sentirão melhor com a sua remuneração se trabalharem numa boa organização com um ambiente positivo. O aumento do reconhecimento e as oportunidades de desenvolvimento permite também que todos se sintam melhor. Motivar e inspirar os outros pode aumentar para si mesmo a produtividade e a rentabilidade, o que talvez proporcione suficiente dinheiro extra para que você possa oferecer aos seus empregados um aumento de salário.

New Call-to-action

Mariano Opere Director de Estudios y RR.HH. en Grupo P&A
Consultor de Dirección, liderazgo y habilidades directivas, con larga experiencia en proyectos de consultoría en empresas internacionales y pymes

No hay comentarios

No hay comentarios todavía.

Dejar un comentario